O que Levo na Mochila?

Recentemente participei de um concurso de uma grande marca de mochilas americana que queria saber o que eu levava na mochila para um dia de escalada, compartilho com vocês minha resposta e também algumas dicas do que levar ou como arrumar a mochila:

participe do concurso para ganhar uma mochila da Osprey clicando no link mais abaixo

Minha resposta:

Alimento para a alma, um bom livro, alimento e abrigo para o corpo, comida saudável e um prêmio do cume (tipo um doce pós cadena saca, a cenoura lá na frente, rsrsrs), um bom anorak, para quando a natureza não está tão amigável e é claro meus brinquedos favoritos, afinal mesmo no melhor playground uma criança sempre leva seus brinquedos favoritos, e na minha lista sempre conto com minha costura da sorte para o crux, meu bom e velho saco de magnésio, que é claro que ninguém pode encostar a mão para não desenergizar o amuleto, e a sapatilha que sorrir pra mim no dia.



Mas isso é o que dá para ver se você abrir a mochila, e no que você não vê, mas posso lhe contar e garantir que sempre está lá: eu sempre levo um pouco de inocência, para fazer das descobertas uma coisa quase magica, um pouco de ousadia, para ter coragem de ir até onde as descobertas magicas acontecem, minha experiência para me sentir seguro quando precisar ser ousado e meu coração e mente abertos para ganhar a experiência.

Algumas Dicas para um dia de escalada esportiva:

  • comida no topo da mochila para não ser amassada, assim como pequenos gadgets que você possivelmente vai usar algumas vezes ao dia.
  • água por cima ou preferencialmente do lado de fora, para ser fácil o acesso e você não ficar com preguiça de hidratar.
  • se você usa um saco de corda com lona ou você leva a tira colo ou coloca logo abaixo do "topete" da mochila utilizando ele para prende-la na mochila.
  • se você não usa saco de corda uma boa dica é colocar a lona por cima de tudo, assim logo que você abrir a mochila a lona já está lá para você colocar todo resto em cima, agora porque a maioria coloca em baixo de tudo???
  • andar com uma capa de mochila para chuva ou comprar um saco grosso de plastico que vale uns R$2,00, do tamanho interno da mochila para estar sempre a salvo das chuvas inesperadas.

por Yan Ouriques











Eu e a Via Mais Difícil do Mundo

por Yan Ouriques

                                  25 anos da Mais Mítica das Vias


Depois de quase 20 anos de escalada finalmente eu ia entrar na floresta mágica, andar e escalar por onde passaram meus heróis da adolescência.

Frankenjura, essa maravilha singular da natureza, da escalada alemã e patrimônio da escalada e historia mundial tem umas 10 mil vias, e muitos marcos no nosso esporte.

Saindo de Munique, são um par de horas de carro a 180...200 km/h,  em um bela Alfa Romeo esportiva, claro, vermelha, escolha estranha para Alemanha, berço de maquinas incríveis, mas fazer o que, era o que tinha na locadora e veio de um upgrade grátis, rsrsr, como recusar.

Da autoban direto para as estradas de terra de Frankenjura, das centenas de setores eu sabia claramente para onde ir, Action Direct, olhar e sentir a energia da via mais difícil do mundo quando comecei a escalar e que sempre será para toda comunidade a referência de dificuldade, persistência e evolução na escalada.

Depois de tentar muitas infos no caminho com locais que não falavam nada além de alemao, consegui o senhor de uns 93 anos que sabia falar um pouco de francês, ufa. Achamos o caminho.

10 minutos de ansiedade com minha esposa pela floresta e estava lá, linda, isolada, baixinha e claro com costuras. Fiquei uns 40 minutos namorando a via e viajando entre as memorias das historias da escalada e minha imaginação e sozinhos, a via só para nós, não resiste, apesar de não ter grau para a via, nunca ter estado com shape tão ruim resolvi tentar só uns movimentos, tocar na pedra.

Nunca mais vou esquecer, achei que não ia mexer, bote em monodedo? tá louco!!! Senti uma energia tão boa na via que fui escalando,caindo, caindo, caindo e escalando e isolante muito mais que meu melhor sonho criar, não uns movimentos do final, e já estava esgotado de tanta força em monos e bidedos rasos, mas naquele momento me encontrei com a escalada de novo, fazia muito tempo que não treinava para alto desempenho e Gulligh e seu presente regarregou minhas baterias de uma forma quase mistica, e que venham as horas no campus que estou pronto!




Dois momentos durante minha escalada da "Action Direct":





Quem sabe um tinha tenho a força, técnica e energia para clipar non stop a última chapa, sonho distante, mas que nunca esteve tão perto.












Gullich no primeiro bote da via:




Em 1991 o mundo da escalada se dividiu em antes e depois, Wolfgang Gullich, escalador alemão, inventor do "campus board" conhecido muito na europa também como "pan gullich"


Simplesmente o equipamento de treino mais utilizado por subidores de pedra no mundo todo!



conseguia encadenar o que deixando os mimimi de lado (depois conto sobre a via do Hubber que acabou como 9a+ e é da mesma época) entrou para história como o primeiro nono grau francês do nosso planetinha azul de água mais cheio de pedra, thank god!

Palavras do ultra campeão Paxti Zubiaga que conseguiu repetir a via em 2008

"la vía más distinguida y mítica de toda la história de la escalada, la vía que marcó un antes y un después"

A via já teve muitas repetições e tem um lugar separado no Olimpo, todo escalador de elite acaba tentando carimbar o passaporte por lá, e cá entre nós, até hoje não é para qualquer um, a via tem apenas 16 movimentos, divididos entre bidedos, monodedos e muitos botes e dinâmicos.







Gullich acobou ficando amigo de Stallone depois de ser dublê do astro nas cenas de solo de escalada no filme "Risco Total".














Apesar de ascensões impressionantes nada se compara a do fenômeno Alex Megos, o cara mandou em apenas 2 horas!!!! Mas para a maioria dos mortais o mítica "Action Direct" continua sendo um projeto de vida, ou até mesmo de mais de uma.



Essa foto do Gullich na via "separate reality" que nosso querido amigo Alexis da Rokaz repetiu um tempo atrâs, mas essa é outra história...





Agora eu tenho “Opinião Pública”! Mais um 8b para Pati Antunes

por Pati Antunes



Neste domingo, dia 16/02, eu e Jean fomos escalar no Cipó. O objetivo inicial era ir direto para o setor PCC, aonde é possível cortar caminho pegando uma trilha no meio da própria que leva pro G3. O PCC é um setor recentemente aberto, mas que já tem várias vias iradas. É um setor mais afastado, mas muito bom de escalar pois fica na sombra o dia todo, além de ter vias mais físicas e a maioria acima de 8º grau.

Enfim, tivemos que subir até o grupo 3 e de lá 3 até o PCC é preciso pegar uma outra trilha que passa por dentro do setor Zen, que é lindo! Logo na entrada do Zen o Jean lembrou-se de uma via recomendada por escaladores locais, a “Opinião Pública”, um 8b muito divertido. A Via fica na frente de uma grande pedra que fica no meio da trilha, não tem como errar. O Jean equipou a via e encadenou à vista. Durante a segue, fui percebendo a movimentação da via, as agarras e os lances. A Via sai de um boulder de equilíbrio e regletes pequenos, depois, numa parede um pouco negativa, a via continua entre agarrões e regletes gostosos de apertar. O crux fica logo acima da quarta costura, num lance de oposição em uma pinça maravilhosa e uma sequencia de regletes, rebotadas e cruzadas de mão. No final, você faz mais um lance de coragem e equilíbrio, mais positivo com pinções maravilhosos, típicos do Cipó.

Não hesitei, enquanto o Jean terminava a via já confirmei escalaria ela. Foi amor à primeira vista. Aquela via me deixou com uma sensação boa, inspirada e motivada a fazer aqueles movs...inexplicável! Mesmo achando a via factível, na primeira entrada tive que tirar meus próprios betas, pra variar rsrsrs, mas já deu pra perceber que de segunda ou terceira entrada sairia a cadena. Que nada! A via me segurou lá e ficamos o dia inteiro no setor. Na quinta entrada, depois de errar várias sequências de agarras, distração, consegui finalmente a cadena. Foi top demais, apesar de querer encadená-la logo, já que tive que trabalhar um pouco de tudo naquela parede, desde movimentos e betas até posicionamento corporal, pés e principalmente a cabeça! No final o saldo foi positivo, escalamos uma via nova, recomendada e maravilhosa, divertidíssima! Valeu a pena!

Ética Decomposta 9B

Texto por Melquior Saviotti


No inicio do ano já tinha em mente a via Ética decomposta 9b na Serra do Cipó, foi  dia 4 de fevereiro de 2014 que escalei a via para tirar uns betas e sacar algumas costuras, mal conhecia a segunda parte. Como é uma via muito longa não deu tempo de dar o segundo pega no mesmo dia, já era fim de tarde e o outro pega demoraria muito.
No dia seguinte descansado e pilhado para escalar a grande via, fiz um aquecimento como de costume em vias mais fáceis e ao final da tarde com o sol já saindo da parede dei o segundo pega. A via é muito incrível ainda mais no fim da tarde com o sol se pondo.     
 Na escalada: a primeira parte da ética é 7c de negativo depois entra em um descanso que da pra zerar, escala um negativo bem forte quase um tetinho com agarras boas, sobe mais alguns metros de via e chega ao crux que são 6 ou 7 movs de regletes e pega em uma invertida boa, desse ponto da via já acabou o crux e a cadena fica bem próxima com mais alguns movs  chega em um agarrão de descanso de onde da para garantir a cadena.

Satisfeito com a cadena e agora treinar para as próximas.



1ª ascensão de 8º grau feminino em Rastro de São Pedro – Arcos, MG

por Paty Antunes



Nos dias 7, 8 e 9, eu e Jean fomos convidados para ir para Arcos em um pico recentemente conquistado chamado Rastro de São Pedro. Para chegar lá e preciso ir até Divinópolis e depois seguir até Arcos. Do centro da cidade levam mais 20 minutinhos por estrada de terra  até chegar na fazenda da Maria e do Vítor, aonde existe uma área de camping com uma casinha de apoio com cozinha e banheiro que custa R$ 15,00 por dia. Chegamos lá já era noite, por isso não foi possível ver o local tão pouco o afloramento. Mas na verdade isso deu um charme a mais pro lugar. Quando acordamos, bem cedo, demos de cara com a pedra, a menos de 500m de distância da barraca...muito massa!

foto de Aender M. Ferreira

O pico hoje conta com mais ou menos 150 vias esportivas, a maioria até 8º grau. Um parque de diversões. Mas já deu pra perceber que o lugar tem muito potencial e muita parede pra abrir via ainda, yuhuu! Pelo fácil acesso é possível escalar durante muitas horas, o que é top demais!

Nessa trip decidi que não entraria em nenhuma via limite, queria tentar encadenar o máximo de vias à vista. Mas não teve muito jeito, escalei sim algumas vias a vista, bem legais por sinal, mas quando vi um oitavo factível...ah, eu não hesitei. A via chama Suor de Cachaça, um 8ª (BR) de muvs um pouco mais longos, pro meu tamanho principalmente rsrsr. Logo, por esse motivo, tive que tirar meus próprios betas. Já na primeira entrada do primeiro dia vi que não conseguiria fazer do jeito que o cintura e o Jean estavam sugerindo (O Cintura mede 1,90m e o Jean 1,80m...osso). Mas nada que um jeitinho delicado de ser não resolva. Regletei, regletei, regletei e consegui. Encadenei a via de 2º pega e já no início do segundo dia! Comecei o dia feliz e com a sensação de dever cumprido! Curto demais essa onda de encadenar vias diferentes em lugares novos, me trás bastante aprendizado e eu consigo testar meus limites. Recomendo demais esse pico!


Pedra Rachada - Pico da Evolução

  texto por - André Tourinho (atleta Ekipe Rokaz)           

         
           Ainda me lembro e acredito que jamais vou esquecer da primeira vez em que escalei na pedra. Ano passado, em um night climbing na famosa Pedra Rachada, Sabará. Foi uma espécie de paixão a primeira vista, desde o momento em que pisei no pico senti uma empatia natural pelo local. Eu sabia que aquele momento seria ponto de partida para milhares de outros inesquecíveis que estavam por vir. 

         A profecia acabou realmente se concretizando e acabei voltando inúmeras vezes ao pico. Foi lá onde pude colocar todo o suor dos treino da Ekipe Rokaz a prova e fui capaz de superar meus maiores limites. Haja vista que várias das minhas quebras de grau ocorreram em Sabará, levando-se em conta que meus primeiros v0's, v1's,v2's,v3's,v4's,v5's,v8's e v9's foram encadenados lá. Nem um grave corte no joelho durante o festival (um susto e tanto) foi capaz de me afastar da Pedra Rachada.

Meu resgate, obrigado a todo mundo que ajudou nessa hora tensa.


      Só quem já escalou em Sabará sabe do que estou falando,o lugar tem uma atmosfera mágica, capaz de cativar a todos. Em grande parte isto se deve a variedade imensa de linhas já abertas, o que possibilita que iniciantes escalem lado a lado com escaladores mais experientes, tornando o pico extremamente democrático e permitindo uma evolução ao mesmo tempo gradativa e rápida.


   No próximo sábado, dia 7 de Dezembro, a comunidade escaladora vai novamente se reunir, dessa vez não para escalar e sim para se mobilizar em função da realização de uma série de manutenções e melhorias nesse pico que já nos proporcionou tantas alegrias. É hora de todos ajudarem em prol da Pedra Rachada. Partiu?!

Cadena do Amanha v9- foto Laura Volponi



 Cadena do Pena de Ganso- v8- foto Bruno Graciano



Curta um curto, rsrsr, video da Pedra Rachada com a participação do André Tourinho,  Melquior Saviotti e Luca Portilho:


6º Rokaz Bloc -edição 2013-

Em  clima de muita descontração e diversão aconteceu a 6ª edição do ROKAZBloc, foi muito prazeroso vermos as pessoas escalando seus primeiros boulders. Suas  primeiras quedas, dinâmicos, botes,betas... muitas emoções novas !! e os atletas master dando a maior raça para conquistar  uma vaguinha na disputadíssima final.

Tudo regado pela energia mais que animada de todos que participaram da organização do evento. Voluntários que com muito amor ao esporte e com muito prazer em ajudar as grandes estrelas do dia - escaladores; Iniciantes, amadores e profissionais - foram fundamentais para a realização do evento. 
O foco do dia foi escalada e diversão !!

Mais de 20 voluntários, 70 inscritos, 40 boulders no festival, 8 boulders para as finais, mais de 400 espectadores durante todo o dia, esses foram os números que fizeram este evento acontecer com sucesso mais uma vez.

-AS FINAIS-

Depois de três horas de muita escalada foi a hora dos atletas master mostrarem para o que vieram.
Seis mulheres e seis homens  foram classificados para a final. Depois de escalarem três boulders, dois atletas de cada modalidade se classificaram para a super final. A grande novidade desta edição, o melhor estilo mata mata, o melhor no último boulder leva tudo, e a final e festival só serve para desempate, ou seja, chegou na final zera tudo e KMON!

O lugar mais alto do Podium foi decidido nessa nova superfinal !! Simplesmente emocionante tanto para os atletas como para a enorme torcida que compareceu em peso durante todo o dia e delirou na final.

O ROKAZBloc, pelo sexto ano consecutivo, aconteceu em espírito de confraternização e harmonia. Mais uma vez demonstrou que as competições são ferramentas eficientes - devem ser incentivadas - para consolidação do esporte como propulsor de uma vida mais saudável para crianças, jovens e adultos.
Venha vivenciar um esporte que para nos é mais que uma atividade física e sim um estilo de vida.
 Escalada, vida, esporte e diversão.

Confira o video OFICIAL, veja os resultados logo abaixo e até o próximo!!!




RESULTADOS OFICIAIS



Motivação RokazBloc

Ai vai uma bela cadena pra dar aquela motivada para o RokazBloc e pra pedra domingo, quem estiver de pé!

Juan Ouriques fazendo a  repetição mais rápida do velho oeste, ou "chiclete" V12 em menos de 7 de trabalho, começando as 5h20 da matina!

Projeto MontBlanc

Texto por Melquior Saviotti - atleta Ekipe Rokaz

Força, foco, raça, disciplina e motivação foram algumas palavras que me ajudaram no processo de mandar meu 1° v10 mont blanc.

No inicio de 2013  tracei juntamente com toda EkipeRokaz o objetivo de 2013 de boulder, mandar o mont blanc v10 em Ouro Preto. Um boulder muito famoso pelo seus regletes pequenos e cortantes em um negativo bem forte.


Quando entrei no boulder pela primeira vez, tomei um susto e percebi que seria um objetivo hard. Eu mal conseguia me mexer  no boulder.  Mas eu estava muito motivado com o projeto e fui insistentemente ao pico por várias vezes malhar o boulder.
A cada ida ao pico eu melhorava meus pegas. Quando isolei todos os movs, eu fiquei com toda certeza que um dia a cadena iria sair.  
Passei bem perto da cadena algumas vezes, caindo no ultimo movimento do boulder.
Até que em um dia de muita neblina com a vibe dos amigos eu pude mandar o boulder. Saiu no 1° pega do dia, depois de um longo aquecimento. A sensação da cadena sempre é muito boa e não foi diferente desta vez. Mas logo depois de mandar o boulder eu já estava grudado na pedra novamente querendo mais escalda e novos projetos. 





Escolha sua Kriptonita


texto por Jean Ouriques - atleta e técnico EkipeRokaz

   É engraçado quando após muitas vias e boulders escalados através de anos e anos, você percebe que tem alguns que te marcaram de maneira diferente, não somente por um movimento, ou pela beleza da linha, ou pela batalha, nem pelo tempo que gastou ali naquele mesmo pedaço de parede e sim porque aquela linha possui todos os elementos com o qual a escalada fica mais divertida e envolvente...  Engraçado porque você se acha tão impotente logo após a primeira entrada.

“Caraca a próxima costura é lá na casa do *&¨%$¨&...”
“Nossa fazer esses lances sem descanso vai ser osso...”
“Jamais vou pular essa costura!! Sem chance...”
“Mais de 100 movimentos... Ah ta de brincadeira né! Esse número só pra treinar resistência e olhe lá!”
“Acho que nem consigo me lembrar  da via toda...”

   A “ Kriptonita” me trouxe todos esses pensamentos, principalmente na primeira entrada. Quando desci da via pela primeira vez eu tinha praticamente certeza que aquela via não me veria durante um bom período, tipo anos! Isso é o que pensei até acordar no dia seguinte e perceber que não conseguia parar de pensar nela, revendo os movimentos, tentando resolver o crux na minha cabeça. Pronto estava decidido ela seria minha muleta (motivação) para retomar minha escalada após uma grave luxação que tive no punho direito no final de agosto de 2012 e o qual me fez praticamente para de escalar o resto de 2012. O problema que isso aconteceu logo em dezembro época que a escalada fica muito prejudicada pelas chuvas, ou seja minhas entradas foram controladas pelas chuvas, parte boa que deu para trabalhar bem o crux da via, porque esse é em uma parte da parede que não molha. Outro problema que estava retornando a escalar no limite após meses de molho, ou seja meu físico não era nem de perto o que eu gostaria de ter para trabalhar uma via dessa magnitude.


   Após 2 meses indo frequentemente aos finais de semana a serra do cipó esses pensamentos sumiram rapidamente, e só existia aquele que quer se superar para conseguir encadenar a linha, essa linha escolhida não por afinidade de estilo, não por um momento físico técnico perfeito para escalar no seu limite, e sim por uma via que ao ser escalada não permite você parar de pensar em cada um de seus 55 metros e cento e poucos movimentos  até que o momento mais especial da escalada acontece...

Gostou? Então comente e deixe sua palavra de incentivo para o atleta!

Agradecendo a Pedra

Depois do RokazBloc dia 30/11 o próximo evento imperdível será na Pedra Rachada.

Após tanto usufruir, está na hora de retribuir a nossa querida pedra que tanto nos dá alegria.

Os Projetos - o segredo para manter a motivação -

Por Gustavo Veiga - Atleta Ekipe Rokaz

Sempre tive preguiça de ficar tentando uma mesma via meses a fio. Indo sempre para o mesmo pico de escalada, fazendo sempre os mesmos movimentos, repetindo sempre o mesmo padrão. A motivação necessária para esse tipo de esforço é enorme, e quando o projeto está no seu limite físico e mental as coisas podem ficar realmente chatas e desmotivantes. Então esse ano eu resolvi ter um projeto em cada pico de escalada assim não ficaria entediado com a mesma rotina e conseguiria manter o nível de motivação alta, eu não vou mentir, mas foco nunca foi o meu forte. Preparei uma lista de possíveis projetos e cheguei a seguinte relação de vias e picos.


Pico
Serra do Cipó
Sitio do Rod
Lapa do Seu Antão
Pedra Vermelha
Vias
Capitão Hook 10c
Poder Paralelo 10c
Chico Xavier 10c/11a
Incrível Hulk 10b



A idéia era ir cada final de semana para um pico diferente tentar um projeto diferente. Cada uma dessas vias foi escolhida levando em conta sua dificuldade específica. 

A "Capitão Hook" foi escolhida pois tinha um movimento muito longo no início, onde eu demorei mais de 100 tentativas para isolar. A "poder paralelo" entrou para a lista pois tinha um lance de monodedo muito forte no final da via enquanto a "Chico Xavier" foi escolhida pelo boulder de abaulados e extrema tensão corporal no início. Já a "Incrível Hulk" a dificuldade era psicológica, uma via extremamente alta, negativa e amedrontadora.

Mas o ano não rendeu como o esperado, já estamos no final de novembro e eu só encadenei a "Incrível Hulk". A "Capitão Hook" parece ser a próxima a sair e a "Chico Xavier" a que está mais distante. Em contra partida minha motivação para tentar meus projetos se manteve alta, e acredito que ganhei muito na particularidade de cada dessas vias, agora é só ter paciência e deixar rolar.

Sugiro a todos que tentem esta abordagem ao menos uma vez na vida, é uma maneira de se livrar da frustração de sempre cair no mesmo lugar e do tédio da mesma rotina todo final de semana.


O Maldito lance da "Capitão Hook" 10C

Foto: Laura Volponi

Me preparando psicologicamente para o negativão da "Incrível Hulk" 10b

Foto: Camilo Jacob

Sequência do lance do monodedo da via "Poder paralelo" 10c

Foto: Bruno Graciano


Video trabalhando o crux da "Chico Xavier" 11a

Paty mandando V8 em Ouro Preto

Hoje ouvi uma frase muito verdadeira e interessante: "Não importa quantas vezes você bate, o que realmente importa é o quanto você consegue apanhar, pois a maior das surras quem te dá é a vida!" As minhas duas ultimas semanas não foram as melhores. Primeiro porque tinha acabado de voltar de viagem, ai rola aquela típica ressaca pós trip. Depois veio a desmotivação, falta de pressão e vontade até pra pegar nas agarras ou criar um boulder... Tenso, não conseguia treinar de jeito nenhum. E pra fechar com chave de ouro fiquei com ombros e braços travados a ponto de não conseguir vestir um casaco sozinha. Parecia até inferno astral!

Após dois dias de recuperação com muito descanso, gelo, massagem e fisio, acordei renovada. Nesse mesmo dia, fui chamada pra escalar em Ouro Preto, animei na hora. 


Despretensiosamente, resolvi entrar num projeto que estava trabalhando logo como primeiro boulder do dia, o "Conhaque Presidente", V8 de regletes bem pequenos e movimentos de pé precisos, saindo de uma viradinha inclinada. Fui surpreendida e ao mesmo tempo presenteada pelo boulder, já havia trabalhado ele antes, mas esse pega foi diferente. Entrei mais soft, com os movimentos na cabeça. A primeira entrada foi aquela clássica, pra aquecer e pegar o ritmo do boulder, já no segundo pega consegui travar num reglete mínimo, mas esqueci de um pé que foi suficiente pra me derrubar. Respirei, mentalizei e no terceiro do dia pega o boulder encaixou perfeito, os movimentos pareciam estar milimetricamente ensaiados, as mãos aquecidas e a textura ideal. A virada do boulder estava molhada, mas na cadena eu nem pensei duas vezes, peguei num gaston molhado, subi os pés e fui pro topo. O boulder finalmente era meu e dessa vez eu levei essa incrível cadena, meu primeiro V8, pra casa!







Climb Lovers - Faça parte desta campanha !!



Participe desta campanha , compre uma camisa e doe uma chapeleta para seu pico preferido. As camisetas já estão disponíveis para compra na recepção da ROKAZ o valor é de R$40,00 são muito bonitas de dry-fit.
Você fica bonito(a) e ainda ajuda na abertura de mais vias no seu pico preferido. Para obter informações sobre a acampanha acesse www.clubemontis.com.br  







CURSO DE ESCALADA ESPORTIVA EM JUNHO !!!

Ola Pessoal !!! 
Para os amantes das paredes vai acontecer nos dias 8,9 e 16 de junho o curso de Escalada Esportiva !! 
ÚLTIMA TURMA DO 1º SEMESTRE !! VAGAS LIMITADAS !!
Pagamento em até 4X no cartão e 10% de desconto para pagamento a vistá. 
Se tiver interesse envie e-mail para contato@rokaz.com.br ou entre em contato pelo telefone 31.2535.9800.



Promoção Imperdível !!! Até 31 de maio !!!


Crash Pad e Milhas

Nesse mês de janeiro já são 12 os alunos da ROKAZ premiados com crash pad em nosso plano de milhas. Para resgatar um crash pad são necessárias 3400 milhas, e teve gente que já pegou 2 crash de uma vez só. 

O valor do crash pad na loja é R$ 457,00. Ele é feito em cordura o tecido mais resistente do mercado, com fitas de poliamida, fivelas de engate rápido em aço inox, tamanho aberto de 120cm x 90cm, altura de 10cm e peso de apenas 5,3kg.

Confira alguns dos premiados:

Matheus Da Costa
 Natália Campos
 Aline Osório
 Fabrício Mamão
 Frederico Quintão
 Renatinha
 Yanzinho

Realmente um sucesso !!! Campeonato Brasileiro e Mineiro de Escalada Esportiva 2012


No ultimo dia 24 de novembro realizamos pelo 3º ano consecutivo em etapa única o Campeonato Brasileiro e Mineiro de Escalada Esportiva. 

O campeonato foi divido nas seguintes categorias Iniciante, sendo um animadíssimo e disputado festival de Tope Rope com duração de 3 horas e nove vias de diferentes graduações. 

O atleta tinha até três tentativas em cada via para mandar (escalar a via sem cair) O festival contou com mais de 30 participantes entre homens e mulheres, todos se divertiram muito e deram o máximo para superar os desafios montados pelos Route-setter. 
Os homens tiveram o pódio geral e  por idade. Sub 17 - 18/29 - 40+


Pódio Geral Iniciante - Feminino

Da esq. para direita: 4º Renata Colgano, 2º Mary Lages , 1º Thais Grossi, 3º Raiane Melo Santos e 5º Clarissa Rodrigues .




Pódio Geral Iniciante - Masculino

Da esq. para direita: 4º Igor Thomaz, 1º Igor Prata , 1º Gustavo Calumby, 3º Caio Junqueira e 5º Felipe Gregorio.



Pódio Iniciante Sub 17  - Masculino

Da esq. para direita: 2º Renato Ustch, 1º João Moreno, 3º João Victor Chaves.




Pódio Iniciante 40 +   - Masculino

Da esq. para direita: 2º Sergio Luiz, 1º Haroldo Oliveira, 3º Evanguedes Kalapothakis (competidor e voluntário).


Também foi realizada a categoria Amador Feminino e Masculino, está sendo Guiada - os atletas tiveram duas vias classificatórias e a soma dos pontos os classificou para a final. Muito concorrida, o vencedor só foi consagrado nas últimas agarras. Cada agarra a mais significou um lugar mais alto no Pódio.



Pódio Geral Amador - Masculino

Da esq. para direita: 2º Lucas Sá, 1º Pedro Henrique Viana, 3º Andre Tourinho e 5º Guilherme silva 




Pódio Geral Amador Mineiro - Feminino

Da esq. para direita: 4º Aline Osório  2º Fernanda Pena, 1º Daniela Grassi, 3º Raissa Viana e 5º Deborah David Nasciutti. 


Simultaneamente enquanto aconteciam as eliminatórias do Amador e o Festival iniciante começou  a categoria mais esperada, os atletas profissionais também tiveram que escalar duas vias eliminatórias e na somatória de pontos foram classificados 8 atletas tanto masculino quanto feminino para disputar a final, e concorrer ao grande titulo de campeão(ã) Brasileiro(a) de 2012 e também os titulo mineiro 2012 estava em jogo. Como sempre a final foi super emocionante, com direito a iluminação colorida e canhão de luz que acompanhou a escalada de cada atleta. 

Academia lotada e público empolgadíssimo, os atletas receberam muitos incentivos da plateia, que praticamente escalou com cada um que entrava na parede. 

 Juan Ouriques - via da final Pró Masculino. 
 Yan Kalapothakis via da final Pró Masculino. 
 Thais Makino via da final Pró Feminino. 

Anna Shaw na via da final feminina 


Felicidade foi à palavra chave desse Campeonato. Para garantir a diversão e a satisfação dos atletas profissionais e amadores preparamos uma área de concentração como nunca, com frutas, pães, biscoitos, água, sucos Fast Fruit, Marathon e até Açaí Amazoo, proporcionando, tranquilidade, conforto e a reposição de energias necessárias aos atletas. E ainda televisão com vídeos de escalada para dar aquela motivada.

Concentração atletas da categorias Pró e Amador:


Pódio Pró Brasileiro - Feminino

Da esq. para direita: 4º Anna Shaw, 2º Thais Makino, 1º Janine Cardoso, 3º Maira Vilasboas e 5º Fernanda Sacheto. 


 Agradecemos a todos os nossos colaboradores, voluntários, amigos, o público e aos atletas que acreditaram em nossa dedicação e energia para realizarmos mais esta etapa do Campeonato Brasileiro e Mineiro de Escalada Esportiva, contamos com mais de 25 pessoas voluntárias.  


Pódio Pró Brasileiro - Feminino

Da esq. para direita: 4º Eduardo Barão, 2º Gustavo Veiga, 1º Cesar Grosso, 3ºJuan Ouriques e 5º Eduardo Sorriso.


Pódio Categoria Pró Mineiro - Masculino e Feminino

Da esq. para direita: 4ºYan Kalapothakis e Patricia Antunes, 2º Juan Ouriques e Fernanda Sachetto, 1º Gustavo Veiga e Maíra VilasBoas, 3º Eduardo Barão e Roberta Rezende e 5º Thomaz Handam e Renata Freitas.





E claro agradecemos as empresas que acreditam como nos na escalada e em nosso trabalho.
Patrocinadores Five Ten - sapatilhas de escalada e  Haxo - Climbing Equipment  

Apoiadores; Bio extratus, Porção, Amazoo Açai, Thomaz Rabelo, Nutricêutica, Emporio Nutri, CBME, Fememg e  Clube Montis 

Ficamos muito felizes em ler comentários como os a baixo citados.... são comentários como estes que nos levam a melhora, trabalhar duro, e acreditar que vale a pena crer no crescimento do esporte e das competições. 

Que o próximo ano seja recheado de campeonatos, eventos e muitos atletas dispostos a treinar e viajar muito para prestigiar os eventos. 

Thais Makino - Vice Campeã Brasileira de Escalada Esportiva 

"Todas as vezes que fui competir na Rokaz(seja nos Brasileiros ou nos também tradicionais Rokazblocs, que neste anos fiquei bem triste de não ter podido participar), sempre me senti muito bem, pois a organização desses eventos são sempre ótimas e rolam uns mimos para os participantes bem legais. Tudo feito com muito carinho e vontade. "Gostaria de agradecer imensamente a organização do Campeonato, que não é novidade, mandou bem demais em mais um Brasileiro, com vias super elogiadas e criativas do André Belê e do Jean Ouriques...".

Anna Shaw - 4º lugar campeonato brasileiro de Escalada Esportiva.

"Na minha opinião: “It Rocked!!!”.Sim! Definitivamente foi uma dobradinha do sucesso do ano passado.Parabéns à Rokaz, aos Route Setters, aos Staffs, aos Atletas presentes, ao Público, e à TODOS envolvidos na organização de mais um Campeonato Brasileiro de Dificuldade!..." 


Janine Cardoso  - Enea (nove vezes)  campeã Brasileira de Escalada Esportiva 

"Essa etapa única do Brasileiro surpreendeu pela organização impecável da Rokaz, que seguiu com pontualidade ao cronograma, buscando seguir ao máximo o esquema de regulamento IFSC (Federação Internacional)" A estrutura de alimentação no isolamento para os atletas também impressionou!! Quitutes como frutas, pães sem glúten, geleias, suco de açaí, orgânicos compuseram um dos melhores isolamentos que já estive, comparando, inclusive, com a maioria dos campeonatos internacionais. VALEU ROKAZ pelo empenho!..."

Que o próximo ano seja recheado de campeonatos, eventos e muitos atletas dispostos a treinar e viajar muito para prestigiar os eventos. 


CLASSIFICAÇÕES POR CATEGORIA