La Paz, paraíso dos esportes de aventura

Olá amigos!
Já faz um pouco mais que duas semanas que estou na Bolivia, curtindo a pé ou em bicicleta os fantásticos arredores da capital boliviana, La Paz. Minha namorada, depois de atravessar a Colombia, o Equador e o Peru de bicicleta, também chegou  na capital mais alta do mundo, a 3800m de altitude.



Nossa primeira etapa foi o Lago Titicaca, o famoso lago do tamanho de um mar, a quase 4000m de altitude, onde os primeiros Incas surgiram  das aguas, contam as lendas...




Ficamos dois dias caminhando nos antigos caminhos incas da Isla del Sol, uma das maiores ilhas do lago.







Nadamos nas águas quentinhas do lago (10-12 graus??)... É até engraçado lembrar que no Brasil tem gente que chama de "gelada" a água a 20 graus das lindas cachoeiras brasileiras!!



Um pôr do sol no lago Titicaca: a beleza do mar com a luz mágica (e o frio!!) da alta montanha...




Etapa seguinte de nossas férias na Bolivia: subir de bike até um colo a 4800m da Cordillera Real acima de La Paz, chamado "La Cumbre", e descer do outra lado até a Amazônia pela famosa estrada "de la muerte".

A subida até o colo, com dezenas de llamas do lado da estrada e o céu sempre azul do altiplano andino:





Para descer, fugimos da estrada e escolhemos um caminho mais técnico e deserto...



Depois de 50 km de descida, 2000m mais baixo, chegamos no trecho famoso da estrada, tristemente famoso porque quando ainda não tinha outra estrada melhor a uns cinco anos atrás, um ônibus caia a cada duas semanas no precipicio impressionante que fica na margem da estrada!




A 1300m de altitude, depois de 3500m de uma descida incrível, chegamos na Amazônia, onde ficamos três dias curtindo o clima tropical e o povo mais "caliente" (e as vezes um pouco maluco!) que do altiplano...




Uma outra etapa imperdível para o amante de esportes de aventura em La Paz é a escalada do Huayna Potosi (6088m), a linda montanha da Cordillera Real mais próxima de La Paz.

Um cemitério de mineiros, atrás o objetivo do dia seguinte, o Huayna Potosi:



Subida até o campo alto:




No dia seguinte acordamos as 2 da manhã, duas horas depois dos outros andinistas! Queriamos estar tranquilos e sabiamos que estavamos aclimatados o suficiente para escalar rápido.
Como sempre, a montanha foi a altura das nossas expectativas mais altas... lindíssima, fantástica!!











Estamos no final da temporada de escalada na Cordillera, o glaciar estava com gretas gigantes e cheio de penitentes, esses curiosos relevos  em forma de torres criados pela sublimaçao da neve.




Os penitentes dificultam bastante a progressão do andinista, mas desenham paisagens totalmente surreais...





                                                                                                                                                                                                                                                                       

Eu já havia escalado o Huayna Potosi quando morava em La Paz em 2003, foi impressionante ver como a montanha mudou muito por causa do aquecimento global. O final da via hoje é totalmente diferente, pois a última face de gelo e neve que chegava ao cume não existe mais!! Agora é uma face de rocha podre e a via dá uma volta grande por uma aresta rochosa atrás do cume...

Coralie no cume:



Minha sexta vez no cume do Huayna Potosi!



A vista do cume, a Cordillera Real:



Descemos rápido antes da neve derreter e do glaciar ficar muito perigoso...



Atravessando uma das gretas mais impressionantes do glaciar:





Chegando de volta ao refúgio do campo alto:



Na descida encontramos um cara tocando didgeridoo a 5200m de altitude!!



Última etapa da nossa estadia em La Paz, um lugar tranquilo para relaxar depois da alta montanha e encontrar os velhos amigos bolivianos, o pico de escalada de Aranjuez!








Agora, ja visitei todos os velhos amigos bolivianos, já curtimos as melhores atrações da região de La Paz, chegou a hora da viagem "de verdade", a viagem de bike que nos levará até a Argentina!!

Começaremos com o Parque Sajama, ainda na Bolivia, o "Kilimandjaro" da America Latina, onde encontraremos dezenas de escaladores do mundo inteiro na base do gigantesco vulção: temos muita sorte, vai acontecer no próximo final de semana um encontro internacional de boulder justamente no caminho que tinhamos previsto de seguir em bike!! O evento chama "Bloqueando", o pico de boulder parece totalmente fantástico!!




Depois do evento Bloqueando e de um passeio a pé no Parque Sajama (6554m), passaremos do lado chileno da Cordillera Central para atravessar o lindo salar de Surire, voltaremos a Bolivia para atravessar o salar de Copaisa, o famosíssimo salar de Uyuni, e depois o Sul Lipez, provavelmente a região mais linda e grandiosa da América Latina juntamente com a Patagonia. Chegaremos em mais ou menos 3 semanas a San Pedro de Atacama no Chile, e depois de mais uns 10 dias de bike no deserto de Atacama e na Cordillera Central, chegaremos na Argentina em Salta.

Calculamos 36 dias de bike entre La Paz e Salta, serão 1500km de pista em terra fofa e areia, nos desertos mais lindos do planeta, entre 2500m e 5000m de altitude, onde em média encontraremos um vilarejo a cada semana, onde várias vezes teremos que levar nas bikes água e comida para uma semana, e roupas para aguentar os -15 graus a noite no Sul Lipez.
Acho que vai ser a maior aventura da minha vida!!

Abraços!
Alexis.

4 comentários:

  1. Caramba! Animal....

    As fotos estão fantásticas e alarmantes... quanto derretimento!

    ResponderExcluir
  2. Sensacional, Alexis!!!

    Aproveita ai, e juízo...

    Vindo de você, maior aventura da sua vida, deve ser osso mesmo...

    Abraço do Gui!

    ResponderExcluir
  3. Incrível!

    O post está maravilhoso e as fotos estão fantásticas, simplismente lindas.

    Vocês estão vivendo uma verdadeira aventura mesmo!

    A foto da vista do cume na Cordillera Real é de fazer inveja a qualquer um. Que vista!

    Abraços,

    Equipe Milevo.
    www.milevo.com.br
    @milevocom

    ResponderExcluir